• contato@tantrayogalab.com.br

Como práticas orientais podem tratar a masculinidade tóxica?


A  masculinidade é tóxica?

O padrão de conduta masculino predominante há séculos está em cheque desde que as mulheres começaram a exigir seus direitos em meados do século vinte. De lá pra cá muitos mitos envolvendo a conduta do macho estão caindo por terra e alguns homens criados no modelo antigo já estão, a duras penas, vivendo uma desconstrução.

“Homem não chora”, “É o homem quem sustenta a casa” , “Isso é coisa de viado”,  “Mulher minha não geme” são jargões que ainda estão presentes, mas já soam ultrapassados para muita gente.

E a sexualidade? Também é tóxica?

Se no âmbito sociológico, onde há discussão aberta, a coisa ainda não se resolveu. Quem dirá, então, no âmbito da intimidade e da sexualidade do indivíduo. Homens ainda são educados pela indústria pornográfica e aprendem, ali mesmo, como abusar e violentar uma mulher.

A roda de bar masculina ainda é recheada de histórias super viris e mentirosas. O homem ainda vive do prazer da masturbação estilo “fast food” às escondidas. E as mulheres ainda sofrem com a rapidez e com a insensibilidade na cama.

A masculinidade tóxica moldou um homem que não conhece a sexualidade além do pênis. Criou sujeitos que não demonstram afeto e não tem inteligência emocional. Porque eles foram ensinados a reprimir as próprias emoções desde pequenos.

São homens que só tem prazer durante os dois segundos de ejaculação, que vieram seguidos dos dois minutos de penetração. Homens que vivem atrás de uma meta de virilidade absurda,  tornaram-se doentes emocionais e não podem ser humanos de verdade.

Veja também: Porque os homens são tão rápidos?

E tudo isso eu vejo diariamente como terapeuta. Homens duros, rígidos, envergonhados, cheios de medo e insegurança. Com uma idade emocional de uma criança e que socialmente escondem tudo isso embaixo do pano tóxico da virilidade e do poder.

É realmente triste, mas a humanidade já viveu bastante e quando tudo está dando errado a gente precisa voltar as origens.

Masculinidade tóxica: o Tantra pode ajudar?

O tantra é uma filosofia comportamental que floresceu a mais de 5000 anos numa região onde hoje chamamos “Índia”. Os “tantrikas” surgiram dentro de uma etnia chamada “Drávida”. Esta era uma sociedade que em sua essência era matriarcal, sensorial e desrepressora.

Existia uma veneração clara a deidades femininas. Afinal de contas, naquela época, a vida surgia através da mulher. E o homem, a princípio, não tinha uma participação ativa nisso.

O conceito de pecado e de repressão relacionado a sexualidade simplesmente não existia. Esses são conceitos masculinos, típicos de sociedades patriarcais e guerreiras, onde o uso da força é predominante e rege a moral social.

Valores, que hoje são tipicamente femininos, como a generosidade, o cuidado, o carinho, o afeto, a criatividade eram cultivados por todos.

Com o tempo sucessivas invasões e guerras aconteceram naquela região e muita coisa foi perdida. O tantra foi muito perseguido pelas culturas patriarcais e dominantes. Mas alguma pouca coisa preservou-se.

Em meados do século vinte um indiano dedicou sua vida a resgatar a filosofia tântrica e adaptá-la ao homem ocidental. Esse indiano ficou mundialmente conhecido como OSHO e o movimento que ele criou ficou conhecido como neo-Tantra.

Osho criou meditações específicas para o homem ocidental. Meditações ativas e que tinham alto poder de libertação e cura emocional.  Após experimentarem na pele variadas técnicas, práticas e meditações  terapêuticas desenvolvidos por seu mestre, os seus discípulos disseminaram pelo ocidente a terapia tântrica que aprenderam.

Por isso, as principais metodologias difundidas no ocidente e que envolvem massagens e terapias tântricas atualmente tem forte influência de Osho e seus Sannyasins, ou discípulos.

O que a terapia tântrica tem a ver com masculinidade tóxica?

Já deu pra perceber que os valores e métodos tântricos são diametralmente opostos aos valores de uma masculinidade tóxica, né?

Portanto nem adianta querer impor práticas tântricas para aqueles que ainda não reconheceram a masculinidade tóxica dentro de si. Que ainda não demonstram interesse em melhorar a si mesmos. Mas para aqueles homens que desejam autodesenvolver-se e estão no processo de desconstrução de padrões retrógrados e maléficos, muita coisa pode ser feita.

Leia também: Massagem tântrica: O que ninguém te contou

A terapia tântrica prioriza o desenvolvimento da sensorialidade corporal, a movimentação fluida da energia vital, a movimentação e a liberação de conteúdos emocionais maléficos. Ela trata ainda da reeducação sensorial e da expansão da percepção dos sentidos corporais. Tudo isso ajuda a tratar a dificuldade do homem moderno em entregar-se, em liberar as próprias emoções e ajuda-o a desenvolver sua inteligência sensorial e emocional.

Em práticas de massagens ou meditações tântricas é muito comum acontecerem catarses emocionais como risos, choros, liberação e dissolução de bloqueios, conteúdos e memórias que a muito tempo estavam guardadas e escondidas no fundo da alma.

O homem aprende que todo mundo chora e que está tudo bem. Aprende que ele pode ser passivo sem ser viado, que gemer e gritar pode fazer muito bem a saúde e que bom mesmo é o orgasmo experimentado pelas mulheres, que normalmente acontece além dos órgãos genitais e em alguns casos se expande pro corpo todo. Mas aprende que esse tipo de orgasmo não é exclusivo das mulheres e que ele também pode chegar lá.

O orgasmo, na terapia tântrica é usado como ferramenta de dissolução do ego. Durante o orgasmo vive-se uma experiencia de morte do ego. Naquele momento o individuo apenas É. Não pensa, não julga e não categoriza nada. Apenas sente. Vive, muitas vezes, o que chamamos de estado búdico. Algumas pessoas riem e choram ao mesmo tempo, numa sensação de profunda experimentação da própria natureza e comunhão com a existência.

Tudo isso promove um resgate da nossa humanidade. O resgate de valores como o cuidado com o outro, o carinho, o perdão, a entrega, a confiança, a amorosidade…

Como viver isso na prática?

Mas como é possível iniciar-me nos conhecimentos e práticas tântricas?

Nós oferecemos um workshop gratuito para aquelas pessoas que desejam aprimorar a intimidade e a conexão nas suas relações amorosas. Basta colocar o seu endereço eletrônico na página do cadastro. Depois você receberá no seu email toda a orientação e o conteúdo gratuito que oferecemos.

Para aqueles que desejam ir ainda mais fundo oferecemos nosso curso completo. Ele é composto por todas as massagens que aplicamos e mais um montão de coisas maravilhosas. Fica até chato falar tudo aqui. Mas se você quer saber tudo bem detalhadinho é só conferir aqui.

 

Uma nova sexualidade te espera!

 


Posts Relacionados


Massagem tântrica: o que ninguém te contou.

Massagem tântrica: A palavra Tantra vive envolta por mistérios e incompreensões. Vem normalmente acompanhada de promessas, magia e fantasias relacionados a sexualidade. Afinal de contas: é possível experimentarmos orgasmos de corpo inteiro? Orgasmos que podem durar 20, 30, 40 minutos?É possível, para um homem, ter orgasmos múltiplos? E Orgasmos secos? É uma pena que essa […]


Orgasmos transcendentais: como vivê-los?

  Orgasmos transcendentais: quando se trabalha com a palavra “transcendência” fica um pouco difícil dar evidências científicas e ganhar crédito da comunidade acadêmica. Ainda mais quando se trata de sexualidade. Mas já existem alguns trabalhos com respaldo mundial, que corroboram tudo aquilo que já vivemos empiricamente no Tantra Yoga LAB, como terapeutas e facilitadores de […]


Yoni Massagem: Passo a passo completo

Yoni Massagem: Se você já leu algo sobre o assunto deve saber que a yoni massagem é uma das armas mais poderosas pra quem deseja levar sua parceira a altíssimos níveis de prazer e despertar todo o potencial orgástico do corpo dela. O meu nome é Júlio Marques, sou terapeuta tântrico e atendo mulheres diariamente. […]



Comentários

  1. ELINE disse:

    Quero saber um pouco maus sobre sexo pela primeira vez.



Deixe um Comentário