Como ter mais orgasmos: como despertar seu potencial orgástico adormecido? Será que você já vive todo o seu potencial de prazer? Será que é possível viver orgasmos de corpo inteiro? Orgasmos múltiplos e orgasmos vaginais com o parceiro?

Esse artigo busca responder essas perguntas e ainda dar-te acesso a exercícios práticos e técnicas de massagens para você revolucionar sua vida sexual.

Então vamo lá?

O orgasmo feminino

Muitas mulheres sentem algum tipo de bloqueio quando se fala de prazer e de orgasmo. Algumas têm dificuldade em expressar algo que sabem que ainda não foi manifestado em sua sexualidade.

Afinal de contas quem não quer viver uma sexualidade liberta e plena?

Principais causas da dificuldade feminina

Entre as principais causas da falta de orgasmo feminino encontram-se:

-Homem ejacula rápido demais e não dá o tempo suficiente para a mulher atingir o clímax de prazer

-Falta de conhecimento de anatomia e como funciona o órgão sexual feminino

-Má comunicação sobre o sexo(falar sobre que tipo de estimulação uma pessoa gosta)

-Problemas no relacionamento como conflitos ou falta de confiança

-Ansiedade sobre o desempenho sexual

-Medo de relaxar, entregar-se e sair do controle

-Uma memória física ou emocional traumática (por exemplo um abuso sexual)

-Distúrbios psicológicos com depressão

-Danos físicos na medula espinhal, alterações nos órgãos genitais, esclerose múltipla ou diabetes

Importante: A maioria das causas é de cunho psico-emocional e não física

A séculos a sexualidade feminina é envolvida por uma névoa moral proibitiva, que culpabiliza o prazer e o autoconhecimento relacionado a própria sexualidade.

Então, não é a toa que, em pleno século XXI, 50% das mulheres brasileiras relatam não se masturbarem e 40% relatam não conseguirem atingir o orgasmo.

Mas quando não há nenhum dano físico significativo em enervações relacionadas ao orgasmo, a falta de orgasmos está relacionada, em sua esmagadora maioria, a causas psico-emocionais.

Isso quer dizer que o orgasmo feminino muitas vezes não acontece por questões psico-emocionais.

É como se houvesse um auto-boicote inconsciente do nosso próprio prazer.

Mas de onde vem essas causas?

Existe um sininho de alerta dentro de nós mulheres quando começamos a sentir prazer. Esse sininho, normalmente, é um alerta, um aviso, uma repressão vinda de uma voz interna e que não nos dá a permissão de sentir prazer.

É uma voz que boicota a experiência sensorial. Uma voz que nos tira do campo das sensações e nos leva para o campo mental, dos julgamentos e classificações. Então é aí que acontece um boicote generalizado dos orgasmos femininos.

Após todo o tipo de elucubrações mentais, o sentimento que normalmente fica em casos como esse é a culpa ou o medo.

Leia também: 5 crenças que bloqueiam a sexualidade feminina. Será que alguma te pegou?

Mas culpa do que? Como ela influencia meu orgasmo?

As vezes a culpa é por sentir-se “suja”, sentir-se “impura”, sentir-se “puta”. Afinal de contas não é “direito” uma mulher entregar-se ao prazer. “O que pensaria mamãe se me visse aqui gozando e gemendo desse jeito?” É quase aterrorizante imaginar um cenário desses.

Mas não se engane. Porque essa culpa vem sendo construída desde gerações muito anteriores a de nossas mães. Ela vem de alguns séculos e tem raízes muito profundas no nosso inconsciente.

Muitas mulheres morreram na fogueira lutando contra essa construção. Muitas mulheres foram violentadas, agredidas, julgadas e criminalizadas por defenderem o direito a igualdade e a liberdade.

Medo do que?

As vezes é o medo de ser livre. Medo de ser magoada emocionalmente. Medo de ser julgada. E o medo torna-se uma angustiante sensação de tentar manter o controle.

Afinal de contas o que acontecerá se eu me entregar totalmente e deixar todo esse fluxo energético vir a tona? O que meu parceiro pensará de mim? O que será revelado caso eu deixe tudo isso explodir?

O medo da perda de controle muitas vezes está associado a falta de confiança no parceiro ou parceira. É como se fosse algo íntimo demais para ser compartilhado.

Pois pode ser que meu verdadeiro “EU” se revele e a pessoa que está junto comigo pode não gostar do que vai ver.

Mas como faço para me libertar desses bloqueios e ter mais e melhores orgasmos?

Felizmente vivemos uma era em que temos forças para libertarmo-nos dessas construções retrógradas, proibitivas e boicotadoras. Hoje o mundo não é perfeito mas é um pouco mais justo, mais livre e com muito conhecimento disponível.

É possível um resgate da sua feminilidade sagrada de forma sadia e curativa. Não há milagre.

Mas um trabalho constante de reafirmação, de auto-merecimento e amor próprio pode transformar sua sexualidade. Por isso é preciso dar mais valor a si mesma, honrar o próprio corpo.

Honrar a própria sexualidade e a sua “yoni”

Yoni é uma palavra em sanscrito (uma lingua sagrada da região da índia), que significa “o portal da vida”

A vagina não pode ser algo sujo, impróprio, feio.  Mas deve ser encarada como algo sagrado.

Então é preciso reforçar esse conceito, esse amor-próprio.

Alguns exercícios simples porém poderosos podem ajudar muito:

1-Olhe-se mais no espelho, conheça melhor sua yoni. Ame-a. Diga a ela coisinhas gentis enquanto a olha: “Eu te amo, minha linda! Eu te aceito. Você é linda, gostosa…é fonte de poder!”

2-Separe um tempo para conhecer melhor o seu prazer: toque com amor sua yoni, sinta-a parte por parte, em um processo quase meditativo.

Conheça as sensações do toque nos lábios, do toque no clitóris, do toque nos anéis vaginais…enfim, explore-se e aprenda seus próprios mecanismos para depois poder transmitir esse conhecimento ao seu parceiro ou parceira.

3-Exercite a musculatura pélvica. As enervações que estão relacionadas ao orgasmo estão em íntimo contato com a musculatura da região pélvica. Exercícios de aperta e solta podem ajudar muito.
Experimente fazer 10 contrações seguidas e dê um intervalo. Faça isso durante 5 minutos  5 vezes por semana.

Isso ajudará-te a ter mais controle e consciencia de toda sua região pélvica, enervações e musculaturas relacionadas ao orgasmo.

4-Experimente fazer exercícios tântricos com seu parceiro e chame-o para aprender a fazer técnicas de massagem tântrica.

Se você não conhece a massagem tântrica, não sabe o que está perdendo.

Leia mais: Massagem tântrica: Um guia Completo!

As técnicas tântricas são, sem dúvida, umas das mais poderosas formas de você expandir e viver todo o potencial orgástico que você merece.

Aqui no Tantra Yoga LAB oferecemos video-aulas gratuitas para você praticar junto com seu parceiro.

 

Existem ainda técnicas direcionadas para casais, em que, tanto o homem quanto a mulher podem aprender mais sobre orgasmos femininos, masculinos, técnicas de massagem tântrica e práticas que aumentam a conexão, intimidade e o prazer do casal.

Para aprendê-las, conheça o nosso Curso de Sexualidade e Massagem Tântrica.

Comentários

1 Comment

  1. Pingback: Massagem tântrica: o que é e como fazer? - Tantra Yoga LAB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *