Olá, Namastê!

Aqui é a Gabriela, coordenadora do Tantra Yoga LAB. Nos últimos dia eu avisei, lá no instagram, que os próximos dias seriam recheados de conteúdo sobre a sexualidade feminina. E essa é a primeiro deles!

Mas, porque nós precisamos falar sobre sexualidade feminina? Afinal, hoje existem cada vez mais conteúdos direcionados ao sexo para as mulheres.

Bom, realmente existe uma onda crescente, embora não universal, de normalização da sexualidade. Falar sobre sexo está cada vez mais normal e isso é maravilhoso. Mas, será que nós estamos conversando sobre sexo de uma forma saudável e educativa? Ou Estamos apenas reproduzindo velhos comportamento que durante anos desempoderaram e desconectaram a mulher da sua própria sexualidade?

Por que falar sobre sexualidade?

Durante nossa história como sociedade, a sexualidade feminina foi entregue ao homem e durante muito tempo o prazer feminino era considerado igual ao do homem, ou melhor, dependente do desejo masculino. A ciência não tinha interesse genuíno nessa questão. Tanto que, o primeiro avistamento do clitóris foi em meados de 1500 e para ele foi dada a função de expulsar o xixi (bem diferente do que sabemos hoje em dia).

Foi apenas em 2009 que nós finalmente tivemos total conhecimento sobre esse órgão quem tem como função dar prazer. Isso é lindo, não é? Ele é um órgão maravilhoso, que lembra muito uma flor. Mas, que por muito tempo era um verdadeiro mistério.

Por esse motivo, eu decidi falar sobre sexualidade feminina de uma forma aberta e limpa. Aqui, nós iremos falar sobre assuntos muito profundos que na maioria das vezes só é possível em um curso pago. Mas, eu disponibilizarei tudo isso de forma GRATUITA.

Com apenas uma condição: que você esteja presente comigo. Leia, comente e principalmente: PRATIQUE. Apenas a prática de todos os conteúdos que irão te reconectar com sua essência e seu prazer.

Ufa! Agora sim, vamos lá?

Manual do Prazer para Elas: conheça sua melhor amiga!

Pronto! Agora vamos começar nosso conteúdo prático? Primeiramente, antes de ter prazer é preciso entrar em contato com nossa Yoni. Em outras palavras, nossa vagina.

Yoni é uma palavra em sânscrito que representa “templo sagrado” ou até mesmo “fonte de vida”. Dessa forma, é uma forma muito linda, carinho e profunda de chamar seus órgãos genitais. No Tantra, nos usamos essa nomenclatura por um motivo extremamente importante: é uma forma de desconectarmos dos nomes pejorativos e ás vezes depreciativos que fomos ensinadas.

Basicamente, nossa anatomia interna e externa é assim:

Créditos/Lua dentro de você

Quando analisamos melhor o aspecto externo (vulva), temos a seguinte estrutura:

Créditos/Anatomia e Fisioterapia

E esse pequeno botão logo alí em cima é o clitóris. Uma das áreas mais fáceis de serem identificadas que dão um prazer incrível para a mulher.

No entanto, é importante ter em mente que não é só ele capaz de proporcionar um orgasmo. Mas, calma que falaremos disso mais para frente. Agora, chegou a hora de conhecermos a estrutura interna do clitóris.

O famoso clitóris

Aquele “botão” é apenas a parte externa dele. Internamente ele é assim:

Para que a mulher esteja pronta para receber uma penetração é extremamente importante que toda a região clitoriana (não apenas a parte de fora) receba a quantidade de sangue ideal. O que leva, em média, 20 minutos. Enquanto o homem só precisa de pouco mais de 5 minutos para ficar pronto para o sexo.

Essa diferença anatômica que na maioria das vezes passa desconhecida é o que leva a mulher a sentir dor ou incômodo na penetração. Aproveitando o tema, vamos deixar uma coisa bem clara: sentir dor na penetração não é normal!

Não é porque seu parceiro está excitado com a situação que necessariamente por isso você precisa estar. E por isso explorar sua própria sexualidade sozinha, sem a necessidade de um parceiro, é tão importante.

Quando nós sabemos o que nos dá prazer, não ficamos refém do outro e das suas vontades.

No momento que se toma conhecimento do seu corpo e do seu prazer, sua sexualidade se abre e você passa ter sempre ótima relações. Seja sozinha, ou com um parceiro.

Mas, afinal, como começar a criar um hábito de toque saudável? Que expanda seu prazer?

Prazer para elas: masturbação feminina é treinar seu corpo para o prazer

A masturbação feminina é vista não como um ato de amor e carinho, ou até de relaxamento. Mas, como algo “proibido” que só é feito por quem não tem um parceiro fixo ou não se sente realizada. Calma aí! A masturbação feminina ou masculina é extremamente necessária para treinar seu corpo para captar os níveis mais sutis de prazer, preparar seu corpo para um orgasmo e melhorar sua capacidade orgástica.

Assim, é importante começar a tirar um tempo para você. Comece com 10 minutos e vai expandindo o tempo conforme sinta cada vez mais prazer.

A dica aqui é: prepare o ambiente interno e externo. Ou seja: tire um tempo para você, desocupe a cabeça das preocupações e foque 100% no presente. Coloque uma boa música e estimule-se com coisas que despertem seu prazer.

Por exemplo, você pode tomar uma taça de vinho, comer comidas afrodisíacas ou colocar um incenso que ame: lembre-se esse é um presente para si mesma.

Tome um banho delicioso e passe creme em todo seu corpo. Lembre-se de ter em mãos um lubrificante ou um óleo vegetal como o óleo de coco (que é ótimo para a flora vaginal!)

Depois, em um local confortável e com uma temperatura agradável, comece o auto toque. Toque a região externa da sua Yoni, massageie os grandes lábios, a região da virilha.

A regra é: comece de fora para dentro.

Quando sentir-se plenamente excitada, passe a tocar seu clitóris ou a parte interna do canal vaginal.

Ter o hábito de estimular seu canal vaginal com os dedos ou um dildo é muito importante para aumentar os níveis de perceção de prazer dentro do canal vaginal, o que aumentar seu prazer na hora de uma relação sexual, possibilitando orgasmos fantásticos a 2!

Aqui o que vale é não ter uma regra! Não é um passo-a-passo. Mas, é entregar-se a curiosidade do momento.

Sua Yoni é um parque de diversões.

É claro que, como eu disse, a intenção não é regrar seu au toque de uma forma taxativa. Você precisa se conhecer e compreender o que gosta ou não. Mas, para facilitar seu caminho, separei algumas dicas para tocar as principais áreas de prazer do nosso corpo!

Seios – Comece massageando a parte externa. E só quando estiver bem excitada toque os mamilos. Apertões delicados, movimentos de pinçar com a ponta dos dedos ou até massagem com as palmas das mãos são interessantes.

Clitóris – O clitóris pode ser massageado de várias formas. Mas, experimente colocá-lo entre os dedos e fazer um movimento de vai e vem. Movimentos redondos ou no formato “infinito” também são ótimos.

Ponto G – Com a ponta dos dedos ou um dildo, pressione delicadamente a região enrugada na parte de cima do seu canal vaginal. Faça movimentos de vai e vem ou circulares de forma delicada, mas firme. É incrível!

Cérvix – Essa região, localizada próximo ao colo do útero é bem no fundo do canal vaginal. Ao tocá-la tem a textura da ponta de um nariz. Para estimular essa região movimentos lentos e circulares são os mais indicados.

Mas, lembrando esses foram apenas ALGUNS dos pontos de prazer, mas passar toda a anatomia tântrica com rigor de detalhes é muito difícil por aqui.

Mas, eu preciso que saiba que dentro da nossa Yoni existe um mar de possibilidades e nosso corpo todo é orgástico. Separe hoje mesmo um tempo para você e depois, me conte como foi sua experiência! Pode ser através do direct do Instagram ou aqui mesmo, nos comentários.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *