• contato@tantrayogalab.com.br

Cultive o fogo principal, aquele do princípio!


Eis aqui um dos principais sutras do Vigyan Bhairav Tantra, a principal escritura tântrica, comentada pelo OSHO.

O sutra número 48 diz: ”AT THE START OF SEXUAL UNION KEEP ATTENTIVE ON THE FIRE IN THE BEGINNING, AND SO CONTINUING, AVOID THE EMBERS IN THE END.”(Ao iniciar a união sexual mantenha sua atenção ao fogo do início, e continue assim, evite as brasas do final)

Eis aqui o comentário do  OSHO:

“Permaneça no princípio. A parte inicial é mais relaxada, cálida. Mas não tenha pressa por chegar ao final. te esqueça completamente do final. Ao começo da união sexual permanece atento ao fogo do princípio. Enquanto esteja transbordante, não esteja pensando no desafogo; permanece com esta energia transbordante. Não procure a ejaculação; te esqueça completamente dela. Sei total neste quente princípio. Permanece com sua amada ou seu amante como se houvessem lhes tornado um. Cria um círculo. Há três possibilidades. Dois amantes que se unem podem criar três figuras…, figuras geométricas. Pode que inclusive o tenha lido ou que inclusive tenha visto uma antiga imagem alquímica em que há um homem e uma mulher nus dentro de três figuras geométricas. Uma figura é um quadrado, outra figura é um triângulo e a terceira é um círculo. Este é uma das antigas análise alquímicos e tántricos do ato sexual. Normalmente, quando está no ato sexual, há quatro pessoas, não dois, e isto é um quadrado: há quatro ângulos, porque você mesmo está dividido em dois…, na parte que pensa e a parte que sente. Seu casal também está dividido em dois; são quatro pessoas. Não se estão unindo duas pessoas; estão-se unindo quatro pessoas. É uma multidão e, verdadeiramente, não pode haver nenhuma união profunda. Há quatro esquinas, e a união é simplesmente falsa. Parece uma união, mas não a há. Não pode haver comunhão, porque sua parte mais profunda está oculta e a parte oculta de sua amada também está oculta. Só se estão juntando duas cabeças, só se estão unindo dois processos de pensamento, não dois processos de sentir. Estes estão ocultos. O segundo tipo de união pode ser como um triângulo. São dois: dois ângulos na base. Durante um momento súbito, fazem-lhes um, como o terceiro ângulo do triângulo. Durante um momento súbito, deixam de ser dois e lhes fazem um. Isto é melhor que uma união quadrada, porque ao menos por um momento há unidade. Essa unidade te dá saúde, vitalidade. Sente-se vivo e jovem de novo. Mas a terceira é a melhor, e é a união tántrica: voltam-lhes um círculo. Não há ângulos, e a união não é só durante um momento. A união é verdadeiramente intemporal; não há tempo nela. E isto só pode acontecer se não estar procurando a ejaculação. Se está procurando a ejaculação, então se vol- verá uma união triangular, porque no momento em que há ejaculação se perde o ponto de contato. Permanece no princípio; não vá ao final. Como permanecer no princípio? Terá que recordar muitas coisas. Primeiro, não considere o ato sexual como uma forma de chegar a alguma parte. Não o considere um meio; é o fim em si mesmo. Não tem um fim; não é um meio. Segundo, não pense no futuro, permanece no presente. E se não poder permanecer no presente ao princípio do ato sexual, então nunca pode permanecer no presente, porque a natureza mesma do ato é tal que é arrojado à presente. Permanece no presente. Desfruta da união de dois corpos, duas almas, e fundíos o um no outro, lhes dissolva o um no outro. Esquece que está indo a alguma parte. Permanece no momento sem ir a nenhuma parte, e te funda. O calor, o amor, deveria converter-se em uma situação para que duas pessoas se fundam a uma na outra. Por isso, se não haver amor, o ato sexual é um ato apressado. Está usando ao outro; o outro é só um meio. E o outro te está usando a ti. Estão-lhes explorando o um ao outro, não estão lhes fundindo o um no outro. Com amor te pode fundir. Esta fusão ao princípio te fará compreender muitas coisas. Se não ter pressa por finalizar o ato, pouco a pouco o ato se volta menos e menos sexual, e mais e mais espiritual. Os órgãos sexuais também se fundem o um no outro. dá-se uma comunhão profunda, silenciosa, entre duas energias corporais, e então podem permanecer unidos durante horas seguidas. Esta união se faz mais e mais profunda conforme passa o tempo. Mas não pense. Permanece no momento, profundamente fundido. converte-se em um êxtase, um “Samadhi”, consciência cósmica. E se pode conhecer isto, se pode sentir e perceber isto, sua mente sexual se voltará não-sexual. pode-se alcançar um profundo brahmacharya, celibato. pode-se alcançar o celibato isso mediante! Isto parece paradoxal, porque sempre pensamos que se uma pessoa tiver que permanecer celibatário, não deve olhar ao outro sexo, não deve juntar-se com o outro sexo. Deve evitá-lo, escapar. Então se dá um celibato muito falso: a mente segue pensando no outro sexo. E quanto mais escapa do outro, mais tem que pensar, porque esta é uma necessidade básica, profunda. O tantra diz que não tente escapar; não há escapamento possível. Antes bem, usa a natureza mesma para transcender. Não lute; aceita a natureza para transcendê-la. Se esta comunhão com sua amada ou seu amante se prolonga sem pensar em acabá-la, então pode permanecer no princípio. A excitação é energia. Pode perdê-la; pode chegar a um clímax. Então a energia se perde, e a isto seguirá uma depressão, uma debilidade. Pode que te pareça uma relaxação, mas é negativa. O tantra te oferece uma dimensão de uma relaxação mais elevada que é positiva. Os dois amantes, fundindo-se, dão-se energia vital o um ao outro. voltam-se um círculo, e sua energia começa a mover-se em círculo. estão-se dando vida o um ao outro, vida renovadora. Não se perde nada de energia. Antes bem, ganha mais energia, porque mediante o contato com o sexo oposto, cada uma de suas células é estimulada, excitada. E se podem lhes fundir nessa excitação sem levá-la a um clímax, se podem permanecer no princípio sem lhes acalorar, permanecendo simplesmente quentes, então se unirão dois «calideces» e poderão prolongar o ato durante muitíssimo tempo. Sem ejaculação, sem atirar energia, volta-se uma meditação, e mediante ela lhes voltam totais. Mediante ela, sua personalidade dividida deixa de estar dividida; fica unida. Toda neurose é uma divisão. Se está «unido» de novo, volta-te de novo um sovo: inocente. E uma vez que conhece esta inocência, pode seguir te comportando em sua-sociedade tal como esta requer. Mas agora este comportall1iento é tão somente uma representação, uma atuação. Não está isso involucrado,en. É. um requerimento, assim que o faz. Mas não está nisso; só está atuando. Terá que usar rostos irreais porque vive em um mundo irreal; do contrário o mundo te esmagará e te matará. matamos a muitos rostos reais. Crucificamos ao Jesus porque começou a comportar-se como um homem real. A sociedade irreal não o tolerará. Envenenamos ao Sócrates porque começou a comportar-se como um homem real. te comporte como a sociedade requer; não crie problemas desnecessários para ti mesmo e para outros. Mas uma vez que conhece seu ser real e a totalidade, a sociedade irreal não pode te voltar neurótico; não pode te voltar louco. Ao começo da união sexual permanece atento ao fogo do princípio, e, continuando assim, evita os rescaldos ao final.”



Deixe um Comentário